quinta-feira, novembro 25, 2010


Gosto de "imaginar". Não gosto que tentem adivinhar o que imagino. Gosto de inventar palavras. Não gosto que me chamem "nina", "miga"ou "fofa". Gosto de receber mensagens. Não gosto que mandem "jokinhas doces" ou variantes. Gosto que me escrevam. Não gosto que me digam "fica bem". Gosto de conversar. Gosto que me percebam, especialmente quando não estou a dizer tudo que queria. Não gosto que me questionem acerca de coisas óbvias, nem que façam um grande floreado para dizer alguma coisa. Gosto de dias de sol, de crepes da haagen dazs., de sushi e de Santini. Não gosto de me sentir à parte. Gosto que se lembrem de mim. Não gosto que tenham de me lembrar de alguma coisa. Gosto de conquistar. Não gosto de ser vista a preto e branco. Gosto da cama feita de lavado. Não gosto de acordar cedo. Gosto de descobrir música que ninguém conhece. Gosto que me ofereçam musica. Não gosto de pseudo-intelectuais nem de textos com palavras complicadas. Gosto de tomar banho depois da praia e sentir a pele quente quando saio de casa. Não gosto de apanhar escaldões. Gosto de gostar e gosto que gostem de mim. Não gosto de exibicionismo. Gosto planear e concretizar sonhos. Não gosto de ter de fugir a situações desagradáveis. Gosto de grandes preparações; de listas, de fazer surpresas. Não gosto que desvalorizem o meu trabalho. Gosto de observar. Não gosto de ter medo que me julguem por quem sou. Gosto de me sentir corajosa. Não gosto de ser tímida quando não conheço bem as pessoas. Gosto de feedback. Não gosto de obrigações. Gosto de ti. Não gosto de não to dizer vezes suficientes.

8 comentários:

Pedro disse...

E eu gosto mesmo muito de ti. É um privilégio ter-te como amiga :)
(e fico por aqui, que não tenho kleneex)

izzie disse...

E eu adorei este texto...
Vou levar pedacinhos comigo, ok?

Beijinho,

Angela Ferraz disse...

fez-me lembrar crónicas de Margarida Rebelo Pinto. o que não é necessáriamente bom

inês, a anónima disse...

Pedro, é mais que mútuo:)

izzie, mi casa es su casa :P

Angela, não foi intencional. Passou-me muito pouco de MRP pelos olhos ;)

Genetaska disse...

E eu gostei do teu texto.
Não gosto de morder a língua, que foi o que acabei de fazer assim que carreguei no ponto final ali de cima. Sangue. Cabidela de língua.

Simone disse...

Está lindo :)

May disse...

gostei do texto.

Ana disse...

Gosto de blogs assim, como este, sinceros e com pinta