terça-feira, outubro 21, 2008

Nem só de morangos é feita a (ficção) palermice nacional

Domingo à noite. Eu, em frente à televisão, na esperança de provar que os Gato não se transformaram em Malucos do Riso, deparo-me com uma bela comédia chamada "Podia acabar o mundo".
Ao que parece é uma novela da sic, e eu acrescento DAS BOAS, porque me fez rir, mas rir muito, assim de gargalhada sentida.
Ora bem:

Esta senhora tem um problema. Toma depuralina como quem bebe coca-cola. Ela até foi ao médico para ver se o embargo ao medicamento já tinha sido levantado, uma vez que já tinha engordado UM kilo e já se estava a sentir texuga. Não se deixem enganar pela bata. Ela não é dona de casa, mas sim GUARDA DA PASSAGEM DE NÍVEL.



Esta menina também tem um problema. Imaginem que quando eu a vi, estava no escritório de advogados em que está a fazer estágio (não remunerado, calculo) a fingir que estava a trabalhar, mas na verdade, estava era a jogar poker online e de um momento para o outro perdeu 10 000 euros.


Este senhor, segundo a descrição do site da novela, também tem um problema. Uma "homosexualidade mal resolvida". Não sei como não vi isso logo pelo lenço, esse adereço que é certo e sabido TODOS os homosexuais usarem.


Outro problema. Adivinham, só pela cara, qual é o desta personagem?

Este senhor é o médico da 1ª senhora, a que está lá em cima. Um amor de pessoa, uma vez que sabendo que a senhora estava preocupada e com medo de não caber na casinha ao pé da cancela do comboio, lhe receitou a depuralina que ela precisava.
Mas também ele tem um problema. Tem uma gaveta cheia de batatas fritas no consultório. Ora são onduladas, ora são lisas, ora pála-pála, ora matutano. O senhor enche o bandulho dos ditos fritos e depois enfrasca-se em comprimidos.


Filho da senhora lá de cima, segundo o site da SIC "não tem mãos nem pés". Não quero parecer insensível, mas... como é que o senhor está na posição vertical para esta fotografia?


Epá, depois disto, gastei as gargalhadas e já não sobrou nada para os Gato.
Para a próxima, fico-me mesmo só pela novela:)


16 comentários:

queixinhas disse...

é meretriz a senhora? ela realmente está com aquele ar lascivo que todas as meretrizes tem. Olha e tu és pior que eu, eu nunca gozaria com pessoas sem maozinhas e pezinhos coitadinhas das pessoas sem pézinhos e mãozinhas, ele anda bem vestidinho vês de gravatinha e camisinha mas sem pézinhos e mãozinhas.

queixinhas disse...

ah e ele não está de pé, está deitado, a foto foi tirada de cima.

inês, a anónima disse...

não estou a gozar com isso. Ah, e não está deitado porque está la a sombra!!

















































Aposto que foste ver se estava!

queixinhas disse...

lololololol por acaso fui ver!!

inês, a anónima disse...

hahaha!

NoZ disse...

Epá LOL, ainda acordo *alguém* com os meus risos!!

Isabel disse...

Esse menino sem braços e sem pernas é o Paulo Azevedo que nasceu assim com essa malformação,ele utiliza uma prótese nas pernas para o ajudar a andar como uma pessoa normal. Fizeram uma reportagem sobre ele há uns tempos que retratava o problema dele e o sonho dele em ser actor. Sinceramente fiquei feliz por o ver na telenovela, se bem que a telenovela... enfim.
Mas o Rui Unas é o pior pelo pouco que vi na novela.
Mas estou a ver que promete ;)

inês, a anónima disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
inês, a anónima disse...

Bem, não foi meu propósito gozar com a situação do senhor, mas sim com a novela em si. Ontem vi mais um bocadinho e até comprovei que ao pé dos outros, esse senhor é bastante superior no que diz respeito a representação. Por isso as minhas desculpas por ter parecido insensível. Eu vi o documentário, e achei realmente espectacular a força de vontade dele. Mil perdões, sr. Paulo Azevedo, é só que as historias são tão incríveis, que foi impossível passar em branco.

Helena de Troia disse...

AHAHAHAAHAHAHAHA que máximo.. também ja me tinha rido a ver partes dessa novela fantástica!
Mas agora falando a sério, quanto à última foto, esse homem apareceu numa reportagem da SIC (lembram-se?????), ele estava a tirar o curso de teatro e o seu sonho era ser actor..e pronto realizou-se!
O meu sonho é arranjar um emprego na minha área, será que se realiza se for à SIC inventar um problema e um drama de vida? :p

Adoooooooro o teu blog apesar de nunca ter compentado :)

Beijinhoos

Maldonado disse...

Por isso mesmo é que não gosto nem vejo telenovelas, sejam portuguesas ou estrangeiras... ;)
"Tropecei" no teu blog e adorei o seu conteúdo. Gostei da tua escrita acutilante, por isso hei-de visitar-te mais vezes.


http://www.a-terceira-via.blogspot.com

Laidita disse...

Se o rapaz estivesse a pedir à porta do metro, é porque estava a pedir à porta do metro. Se ele trabalha é porque foi fazer dramas para a sic. Não parece que tenha sido dificil para ele inventar um drama. Afinal uma pessoa sem pernas nem braços não tem motivos para achar a sua vida dramática!

Ao menos não se comporta como um coitadinho que vive à custa da Segurança Social.

Sanxeri disse...

Ai o que eu me ri com isto. :P

A novela é muito fatela para o meu gosto.

CO-Redinha disse...

O Paulo Azevedo é um exemplo de força e coragem.
Faz piadas com a sua própria situação... que na verdade não tem graça nenhuma.
Foi a forma que encontrou para ultrapassar alguns dos muitos obstáculos com que se depára.

Por acaso este comentário acabou por não ter gracinha nenhuma.
Acredito que a ignorância tenha sido aqui o verdadeiro "culpado".

inês, a anónima disse...

cara co-redinha leia entao os comentários e veja que eu já pedi desculpa por ter sido malvada no q escrevi no post. Penso que pressa em apontar o dedo aqui é a verdadeira culpada

CO-Redinha disse...

Não tive pressa em apontar o dedo.
Tanto que não lhe aponto nenhum.
Li os comentários e daí ter dito que "a ignorância tenha sido aqui o verdadeiro "culpado"".
Se calhar deveria ter sido "o desconhecimento", mas acho que no contexto teriam o mesmo significado.
Como os posts e comentários não têm tom de voz às vezes dá azo a confusões.
Não tenho blog, mas tenho amigos que têm e defendo que quem não se sente bem vai-se embora.
Acredite, que só fiquei em sua "casa" porque senti que podia.