domingo, outubro 15, 2006

"Ora ZUMBA na...CANELA!"

Tenho vindo a puxar pela cabeça, mas há algo que não tenho conseguido resolver com a facilidade habitual com que resolvo todos os enigmas “da humanidade” que se atravessam no meu caminho.
Esta dúvida "existencial" tem vindo a perseguir-me e neste momento encontro-me numa espécie de beco sem saída, já que nem uma "sombra" de resposta se apresenta.
Há um ano atrás havia um pombo que me perseguia. A cada sítio a que ia estava um pombo, que na minha cabeça fazia parte de uma teoria da conspiração -“não-sei-porque-carga-d’água-estão-os-pombos-contra-mim”. Carinhosamente dei-lhe o nome de Zé milho, e, quando finalmente me habituei à sua presença, ele deixou-me, dando lugar a outro mistério…
Neste momento a minha questão é:
Qual é a cena com o meu carro e os carrinhos de supermercado?
Cada vez que o deixo estacionado, quando volto tenho lá sempre um carrinho de supermercado, prestes a tocar-lhe e a deixar-lhe um risco mesmo nada catita!
Já me dei ao trabalho de o meter atrás de um pilar ( ao carrinho de supermercado), de o desviar, até mesmo de o ir arrumar (mesmo não tendo moeda!), mas a verdade é que ele volta sempre para me assombrar. Confesso que até já penseique pudesse ser sempre o mesmo carrinho a perseguir-me. Só para me provocar. Messing with my mind.
Isto aconteceu-me em vários centros comerciais conhecidos (cujos nomes não vou divulgar, porque ninguém me paga para isso), e mais recentemente em Belém.
Irrita-me, irrita-me irrita-me! Irritam-me as pessoas que não os arrumam!
Uma pergunta : Será assim tão difícil devolver o carrinho ao seu lugar? Será que vos cai uma perna? Um braço? “Ah e tal”, serve para vos transportar as compras, mas depois não apetece arrumar? Vamos imaginar que ao carrinho não lhe apetecia transportar-vos o pão, o arroz ou o caixote gigante com o plasma acabado de comprar no Continente? Levariam tudo na mão?
Só espero que vos aconteça uma de (ou as) duas coisas:
-Vos apareça um risco no carro feito pelo tal carrinho compras;
-Alguém no supermercado vos acerte com ele nas canelas.

1 comentário:

isabel disse...

É verdade! Eu sou testemunha, o carrinho tá lá sempre.